14 de jun de 2010

4° Subsídio - Amores de São Luis Orione - O Papa e a Igreja


O Papa e a Igreja

Encontro
Ambiente
Preparar o ambiente com uma mesa com toalha branca, algumas flores, um cacho de uva (simbolizando a unidade da Igreja) e se possível: um ícone da Santíssima Trindade, uma foto/pôster do Papa, uma foto da igreja/capela local ou de alguma atividade pastoral.

Acolhida
A acolhida, bem como, a condução do encontro deverá estar a cargo do dirigente.

Neste nosso encontro queremos conhecer um pouco mais do amor e fidelidade de São Luis Orione junto à Igreja de sua época e os desafios por ele enfrentados.
São Luis Orione ao longo de sua vida em tudo o que fez, o fez dentro de uma obediência filial à Igreja. Em nenhum momento quis honrarias e glórias para si próprio. Deixou-nos registrados em seus atos e escritos, provas de sua humildade e dedicação como serviços dedicados à santa mãe Igreja.
Em seu coração ardia um extraordinário amor à Igreja e à pessoa do Papa. Um dia escreveu: Vocês sabem muito bem onde está o meu coração, e que meu coração transborda até a consumação de toda a minha vida... eu falo do amor à santa Igreja, ao Papa, eu falo deste Santíssimo amor, que, junto com o amor de Jesus Cristo, é o amor da nossa vida, e a nossa própria vida.

Oração Inicial

No início da oração fazer o Sinal da Cruz.
A oração deve ser conduzida pelo dirigente do encontro, enfatizando principalmente, a figura do Papa e da Igreja.
Oração do Pai Nosso.

Palavra de Deus
Evangelho de Mateus 16, 13-19. (A leitura do Evangelho deverá ser feita a partir da Bíblia, não levar texto impresso).

Música de Aclamação ao Evangelho - conforme costume local.
Sugestão: A Edificar a Igreja.

O Senhor esteja convosco!
- Ele está no meio de nós.
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus
- Glória a vós Senhor.

Texto de São Luis Orione

São Pedro foi também pescador e Cristo o transformou em pescador de homens. Sobre Pedro, Jesus construiu sua Igreja; deu-lhe o poder de confirmar os irmãos e as chaves do Reino. Com a missão de confirmar os bispos na fé, Cristo deu a Pedro a plenitude da fé e a infalibilidade, já que para confirmar os outros na fé, era mister que sua primeira fé nunca falhasse, nem se desviasse.
Que alegria para nós celebrar hoje a festa do Papa, a festa de Pedro! No mundo inteiro olhamos hoje para o Papa; rezamos por ele, exaltamos sua missão. Voltamos para o Papa nosso olhar de doce amor, porque o Papa é o “doce Cristo na Terra”.
A festa de hoje faz-nos sentir de modo especial a Santa Igreja Católica e Romana, a verdadeira Igreja de Cristo. Descobrimos que tudo se unifica, tudo cresce e se afirma a partir de Cristo e de seu Vigário, o Papa.
E como sentimos então a verdade das palavras de Paulo, que quase tocamos com as mãos: o corpo místico de Cristo é um só e todos os membros desse corpo que é a Igreja, mesmo sendo muitos, formam o único corpo. Assim, pela presença de seu doce Cristo na terra, o Papa, a Igreja, se percebe Una, Santa, Católica e Apostólica: a Igreja, pela presença do Papa, é a mesma em todo e qualquer lugar, unida a Cristo na pessoa do Papa.

(Carta de 29/06/1937; Nos passos de Dom Orione, 254-255).

Momento de Reflexão
Dirigente: O seminarista Orione estuda teologia em 1.892, no seminário de Tortona. A pobreza impede a família de pagar as suas despesas. Para manter os estudos, ele torna-se aluno externo e assume funções de “custódio”, uma espécie de sacristão ou “office boy” da Catedral.
Certo dia, o Bispo Dom Bandi, abre-se com aquele seminarista pobre e expõe os problemas e preocupações pastorais. Entre as dificuldades, relata, com pesar, a falta de sacerdotes para a sua diocese e não vê solução a curto prazo... Naquele momento, o seminarista tem uma intuição. Sente na fala do bispo a própria voz de Deus e, cheio de entusiasmo se expressa: Excelência, dê-me a sua benção e eu vou abrir um colégio para alunos pobres. Há tantos que não sabem onde estudar, trabalhando com a benção de Deus, decerto hão de sair do colégio muitos leigos cem por cento sacerdotes...!
O bispo teve um sobressalto. Percebeu a linguagem de um futuro apóstolo. Não teve, pois dúvidas, e deu a sua benção. Sabemos da história ocorrida, ele consegue a ajuda da boa idosa que lhe dá 400 liras para iniciar o seu primeiro colégio, um “coleginho” Santa Clara... Vejamos trechos da carta de 05/01/1928, onde São Luis Orione escreve aos confrades poloneses, recomendando vivamente a devoção, o amor e a obediência ao Papa:
Leitor 1: “Esse é o fim principal de nossa Congregação: viver de amor pelo Papa, e difundir, especialmente entre o povo, entre os pequenos e os humildes, o mais sentido amor ao Papa e a mais completa e filial obediência as suas palavras e aos seus desejos”.
Leitor 2: “ O nome do Papa deve estar marcado em nossa frontes, deve estar gravado em nossos corações; a nossa vida deve ser uma consagração total ao Papa e à Igreja de Cristo”.
Leitor 3: “Consideremos um grande e doce dever praticar até mesmo as mínimas recomendações do Papa... oferecei energia, coração, mente e vida para sustento da Igreja de Roma, Mãe e chefe de todas as Igrejas do mundo; para o sustento do Papa, de sua autoridade e liberdade, e para a difusão do seu amor”.
Leitor 1: “Não queremos, não conhecemos outro mestre nem outra luz... não conhecemos outro Pai, nem outro Cristo público e visível na terra”.
Leitor 2: “Em nossas conversas, não toleramos palavra - e não digo palavras, mas palavra - menos respeitosa sobre a pessoa ou da autoridade do Papa, das Sagradas Congregações romanas, dos núncios apostólicos, ou qualquer juízo sobre as disposições da Santa Sé”.
Leitor 3: “E Jesus Cristo, Pastor divino e eterno, não deixará de abençoar-vos, ó meus caros filhos da Polônia, e a abençoar a vossa pátria, que tem o título de fidelidade ao Papa, o que é uma de suas glórias mais bonitas”.

Partilhando
1. Como você demonstra / vive o seu amor para com a Igreja?
2. São Luis Orione dizia que a juventude seria “o sol ou a tempestade do amanhã”. O Papa Bento XVI, em sua visita ao Brasil, disse aos jovens:
“os anos que vós estais vivendo são os anos que preparam o vosso futuro. O ”amanhã” depende muito de como estais vivendo o “hoje” da juventude. Diante dos olhos, meus queridos jovens, tendes uma vida que desejamos seja longa. Mas é uma só, é única: não a deixeis passar em vão, não a desperdiceis. Vivei com entusiasmo, com alegria, mas, sobretudo, com senso de responsabilidade”.
Comente no grupo sobre esse pensamento do Papa.
3. Enquanto jovens atuantes em nossas comunidades, como podemos atualizar na comunidade o exemplo de São Luis Orione e demonstrar o amor e a fidelidade que ele tinha à Igreja e ao Papa?




Orando com São Luis Orione:
Senhor Nosso, Jesus Cristo somente tu tens palavras de Vida Eterna, ouve o grito angustiante dos povos que vêm a Ti. A Ti pertencem, são tua conquista. Dá-nos a graça de consumar e dar a vida, humilde e fielmente, aos pés da Igreja e pela Santa Igreja, pelos Bispos e pelo Papa (...). Queremos palpitar e fazer palpitar os corações ao redor do coração do Papa: Queremos renovar e unificar no santo amor o ser humano e a sociedade, levando à Igreja e ao Papa, especialmente os pequenos e as classes dos trabalhadores humildes, os pobres, os aflitos, os abandonados, que são caros à tua Divina Providência e são os verdadeiros tesouros da tua Igreja. Amém!
(Extraído do livro Comunidade Orionita em Oração, pp 39-40, edição italiana).

Concluir com um Pai Nosso, Ave Maria, Glória ao Pai e um refrão ou trecho de canto conhecido que fale da Igreja.

Ação

A partir da reflexão e a da partilha que tivemos, seguem-se algumas orientações ou sugestões para ajudar o nosso próximo na sociedade.

1. Trazer assuntos de jornais / revistas e da internet referentes à Igreja, para um comentário em grupo. (Obs: Jornais: O Santuário, O São Paulo, O Lutador; Revistas: O Milite, Família Cristã, Passos, Sem Fronteiras; Sites: www.cancaonova.com.br, www.a12.com, www.catolicos.com.br, www.brasilcatolico.com.br, www.cnbb.org.br).
2. Propor ao grupo visitar uma instituição católica para melhor conhecer à Igreja que faz parte.
3. Dividir o grupo em equipes de 4 ou 5 pessoas (conforme o número de participantes), visando visitar as pastorais e movimentos existentes na paróquia, para assim, conhecer melhor o trabalho que cada um faz.
4. Um dos trabalhos existente na Igreja e realizado mundialmente é o trabalho da pastoral da criança. Propor para o grupo um trabalho em conjunto com a pastoral da criança da paróquia do bairro ou em qualquer outra paróquia. (Participação nas visitas às famílias, pesagem das crianças e participação na preparação da multimistura, etc).





Celebração

• Procissão de Entrada com o canto “Marcha da Igreja”, o quadro de São Pedro, do Papa e do Bispo Diocesano.
• No Ofertório trazer junto com o Pão e o Vinho, cartazes ou faixas com o nome das pastorais e movimentos existentes na paróquia.
• Na Oração da Assembléia, além das preces do folheto, criar preces específicas pelo Papa, pelo(s) Bispo(s) e pelo(s) Padre(s) que trabalham na paróquia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário